Comissão de acompanhamento para o Alto do Lumiar

Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha no Lumiar, fez o alerta ao grupo comunitário da Alta de Lisboa – GCAL, que ia ser realizada uma Assembleia de Freguesia do Lumiar, local por excelência para os residentes, associações intervir, expor as suas duvidas, receios, asseios, propor soluções para os próprios problemas ligados ao bairro, à freguesia.

 Foi o que aconteceu na passada segunda feira, dia 28 de Janeiro de 2010, pelas 20:00 horas, esteve presente o Centro Social da Musgueira, representado pela Sr.ª Directora Geral Ana Barata e a Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha representada pelo Presidente da Direcção Sr. João Carlos, podíamos ser muitos mais, pelo menos a Assembleia reforçou a colocação de cadeiras (estariam a nossa espera?) e muitas cadeiras ficaram vagas.

 As Associações de base local do Alto do Lumiar, tem que perceber que temos que começar a falar para fora, falar para dentro não resolve nada, falar em locais como Assembleia de Freguesia, Assembleias Municipais, nas reuniões publicas da Câmara Municipal de Lisboa e outros locais a onde é feito o governo da Cidade, pode ajudar a resolver bastante os nossos problemas.

 A Freguesia é muito grande, os problemas é que não faltam por resolver e alguns eleitos de alguns quadrantes políticos não sabem, desconhecem ou não querem saber, por isso é importante ir a casa da política, apresentar os nossos problemas, como sabemos muitos destes problemas resolvem-se apenas com decisões politicas.

 O Centro Social da Musgueira representado por Ana Barata apresentou várias questões, uma delas tem haver com a questão das Novas Instalações do Centro Social, não há meio da obra ter início. O actual Centro, encontra-se ainda a dar resposta à população do Alto do Lumiar as actuais instalações encontram ao nível do edificado com graves anomalias, obsoleto, deslocado da população, com acessos precários, urge agir rápido.

 Outra questão levantada por Ana Barata teve haver com o edifício que se encontra na Rua Maria José da Guia, local a onde o Centro Social desenvolve a actividade do centro de dia para idosos, o edifício é um edifício térreo com uma cobertura em telha cerâmica a mesma tem graves problemas e deixa passar muita agua provocando graves problemas ao nível das infiltrações, existe alturas em que a electricidade em determinados locais é desligado para evitar curte circuito, neste inverno se nada for feito, poderá haver dias em que os idosos tem que ficar em casa, pois não estão reunidas questões de segurança para receber os funcionários nem os idosos.

 Ana Barata falou ainda da questão da Av. Santos e Castro, Eixo Central da necessidade das acessibilidades, na sua opinião enquanto não estiver reunidas as condições dos acessos as empresas, os serviços não se instalam, os novos residentes vão perdendo o alento de viver no Alto do Lumiar.

 Chegou o momento da AMBCV Lumiar intervir, João Carlos na sua introdução referiu que a sua intervenção era uma critica construtiva, trata-se de uma constatação que no Lumiar, no Alto do Lumiar e no Bairro da Cruz Vermelha não se passa nada.

 E por não se passar nada e estar tudo na mesma, alguma coisa vai mal.

 João Carlos Beça, informou a Assembleia e os presentes que a sua presença deve-se as acessibilidades do bairro da Cruz Vermelha, à limpeza do bairro que é uma Vergonha, e as famílias do Pátio do Piçarra e no final  propor um desafio a Assembleia de Freguesia do Lumiar.

 Ponto 1. Acessibilidades ao bairro.

 O mesmo teve a oportunidade de lamentar que este problema ainda não esteja resolvido e na sua opinião é um problema muito fácil de resolver assim haja vontade de realizar obra e a obra está ao alcance de quem quer realizar obra.  

 Se temos uma via consolidada;

Se temos uma via que tem iluminação pública;

Se temos uma via que faz a ligação do bairro ao centro do Lumiar fechada, com blocos de cimento,

Perguntamos porque que não se abre a via e deixem a população entrar e sair pela porta grande?

 Ponto 2. Limpeza do Bairro

 Falar da limpeza do bairro e o mesmo que dizer: “- é uma VERGONHA”, AMBCV Lumiar anda há dois meses alertar os serviços da DHURS – CML, para a necessidade de limpar o mato e para a necessidade das lavagens das ruas do Bairro.

A DHURS – CML informo que em Maio os trabalhos iam ter início, nada foi feito, voltaram a informar que em Junho os trabalhos iam ter início e uma vez mais falharam, alegando que tinham tido problemas com as roçadoras.

 Informamos ainda a Assembleia, tendo em consideração que a mesma tinha votado por unanimidade uma moção ligada a construção do posto de limpeza para o Alto do Lumiar, que a AMBCV Lumiar tinha participado na 4º Assembleia do Orçamento Participativo na ADAF e tinha sido aprovado a proposta para ser votada em Outubro no âmbito da OP.

 Ponto 3. Pátio da Piçarra

 Ouvimos falar sobre este assunto antes de intervir, no período antes da intervenção do público, pelo líder de bancada do PSD Correia de Araújo, que tinha recebido 2 famílias e que ambos os casos necessitavam de advogado, visto que o só assim o assunto de ambas as famílias se podia resolver, até aconselhou as mesmas a ir ao Provedor da Justiça, considerando o mesmo, que este assunto devia também ter esse encaminhamento.

 A Associação de Moradores já tinha ouvido falar que se tinha constituído uma “comissão de acompanhamento da famílias do pátio do Piçarra” em primeiro lugar lamentamos que ao haver uma comissão, a mesma não tivesse a gentileza de convidar a AMBCV Lumiar a falar sobre o assunto e estranhava apenas de ter ouvido falar de dois casos, visto que no pátio ainda residem mais duas famílias que aguardam a resolução do problema.

 Perguntamos:

Mas que comissão é esta, que não sabe que existe ainda no Pátio dois agregados familiares a viver, ainda sem atribuição de habitação?

 Mas que comissão é esta, quando o membro do PCP Teresa Roque, desconhece a sua existência?

 Ponto 3. Desafio à Assembleia de Freguesia do Lumiar

 A AMBCV Lumiar desafiou esta Assembleia de Freguesia a promover uma Assembleia de Freguesia do Lumiar extraordinária e deslocalizada no Alto do Lumiar, para tratar apenas de assuntos da nossa zona geográfica, com a presença se possível da Vereação da Câmara Municipal.

 Aqui verifica-se que existe algum receio por parte de alguns membros da Assembleia, inclusive do Sr. José Alírio membro da bancada do PSD, residente do Bairro da Cruz Vermelha, sócio fundador da AMBCV Lumiar, não está de acordo que a mesma se realize, segundo as palavras do mesmo “não é montanha que tem que ir a Maomé, mas Maomé á montanha”

 Todos nós sabemos que num passado recente e com uma Assembleia de Freguesia do Lumiar extraordinária, realizada no Bairro da Cruz Vermelha a onde o mesmo fez parte, nessa mesma Assembleia, resolveu-se o problema habitacional das 200 famílias que viviam nas casas de alvenaria.

 Sempre com um discurso que não sabe bem o que quer, nem sabe o que diz, apenas temos a lamentar a sua visão.

 Na intervenção do Sr. Presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, Dr. Nuno Roque, o mesmo já tinha sugerido em anterior Assembleia que devia existir uma Comissão de acompanhamento do Alto do Lumiar, comissão que deve ter um a dois representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia de Freguesia do Lumiar.

 O Sr. Presidente da Assembleia, colocou á consideração dos respectivos membros da qual não houve objecções e ficaram os partidos PSD, PS, PCP/PEV, BE, CDS de indicar os seus representantes para a referida comissão de acompanhamento do Alto do Lumiar.

 Nota final da Assembleia de Freguesia do Lumiar,

 Foi interessante ver dois elementos do PSD e ambos com grande capacidade de retórica, ambos com grande capacidade de liderança de grupo, e estamos a falar de Correia de Araújo e José Augusto Felício, após a intervenção do Correia de Araújo, José Felício pediu a palavra e manifestou a sua indignação em relação ao parceiro de bancada Sr. Correia de Araújo por falar em nome do grupo sem ninguém previamente o consultar sobre as tomadas de decisão, deserta forma José Felício não se considera fantoche e ninguém pode tomar por si, as suas decisões.

Estas observações vinham a propósito de um voto de pesar apresentado pelo Partido Comunista em relação a morte de José Saramago a onde incluía a possibilidade de colocar numa das salas da Junta o nome de José Saramago.

Para Correia de Araújo o grupo ia votar a favor o voto de pesar, José Felício estava de acordo e nada opor em relação ao voto de pesar, mas não estava de acordo com atribuição do nome de sala, alegando que José Saramago é um Nobel da Literatura e a sua dimensão não se deve resumir a atribuição do seu nome a uma sala, alegando ainda que o mesmo não tem ligações ao Lumiar e deve em primeiro lugar, atribuir-se o nome das salas as pessoas ligadas ao Lumiar. Desta forma ia-se abster.

 Foi ainda Curioso ver, José Felício a retirar-se da sala, quando estava a decorrer as votações das Moções e regressando apenas quando o voto de pesar estava a ser votado.

 E sempre bom estar na casa da política, ver fazer política.

Uma resposta a Comissão de acompanhamento para o Alto do Lumiar

  1. […] e recentemente na ultima AFL realizada no dia 28 de Junho de 2010 Comissão de acompanhamento para o Alto do Lumiar e […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: