Não existo…

Contrariamente a este Grafite, a AMBCV Lumiar, existe, pensa, não estamos aqui apenas para assistir, e ao lado dos residentes, participamos na vida activa do nosso bairro.

Pensamos, existimos, assistimos e também participamos.

Já dizia Réne Descarte, o primeiro filosofo moderno, nascido em 1596 “penso logo existo”

Mas o actual silêncio da Unidade de Projectos do Alto do Lumiar (UPAL) CML, em relação as questões ligadas ao Urbanismo do Bairro da Cruz Vermelha no Lumiar, está errado. Errado em primeiro lugar, porque existimos. Errado porque nos pautamos sempre pelo contacto pessoal, pelo aperto de mão, pelo olhar profundo nos olhos. Errado porque em democracia nada substitui a mobilização da base local. Errado ainda pelas expectativas criadas ao longo destes longos anos em relação aos acessos do bairro.

Deste modo, só resta desacreditar Réne Descarte e defender uma nova tese, ajustada ao comportamento da UPAL, “Não existo, logo penso”

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: