Nem mais um Inverno, a viver neste Inferno

Urgente

 Existe ainda famílias a residir na freguesia do Lumiar em Lisboa, na dita zona da Alta que infelizmente vivem em Baixa, são Cidadãos de Lisboa, é gente da nossa terra que vivem em autenticas barracas, sem as condições mínimas de segurança e de salubridade, paredes meias com a Escola D. José I, à entrada do Bairro da Cruz Vermelha no Lumiar.

05 JCB08 JCB

 A A.M.B.C.V. Lumiar efectuou uma visita domiciliária a D. Maria de Lurdes Fialho, utente do nosso espaço sénior e deparam-nos com um drama humano, que não passa pela cabeça de ninguém, veja o estado de degradação em que se encontra o seu fogo habitacional.

02 JCB

 Este edificado situa-se na Estrada da Torre n.º 134, lá dentro vamos encontrar várias portas, D. Maria de Lurdes habita, há 50 anos na porta n.º 8, na companhia do seu filho e sua nora ambos a viver no sótão da casa.

25 JCB

 Ao entrar a porta dentro, vamo-nos deparar, com espaço bastante exíguo, cozinha sem as mínimas condições de segurança, armários e tectos suportados por barrotes, casa de banho, meu amigos (as) sem palavras, o quarto mais vale ver a foto, pois a imagem fala por si.

12 JCB13 JCB14 JCB15 JCB

 Resumindo, elevados níveis de infiltração provenientes da cobertura, colocando em perigo a instalação eléctrica, perigo de derrocada, perigo de incêndio, são inúmeros os Perigos e todos eles podem envolver os seus residentes num grave acidente.

 Mas este não é o único caso a registar, existem outros agregados familiares a viver nas mesmas condições, verifica-se a existência de mais três famílias a viver na porta n.º 1, D. Virgínia Mora, na porta n.º 5 D. Adelina e na porta n.º 6 D. Maria do Sameiro.

 Este flagelo humano, não é  desconhecido da Autarquia de Lisboa e já se arrasta seguramente desde 2004, já estiveram no local em Janeiro do corrente ano, equipas da Protecção Civil e do Regimento Sapadores de Bombeiros e decerto que constataram a gravidade da situação sócio habitacional.

24 JCB26 JCB

 Será que estamos à espera que haja mortes, para depois realojar os sobreviventes, se os houver?

 Perguntamos, será que a Câmara Municipal de Lisboa, através da Divisão de Gestão Social do Parque Habitacional, não terá habitações devolutas para receber estes agregados?

 Sr.ª Vereadora da Habitação Social da Câmara Municipal de Lisboa, não deixe passar estas famílias nem mais um natal nestas condições!

 Urge pensar rápido é impossível viver nestas condições.

28 JCB31 JCB32 JCB

Uma resposta a Nem mais um Inverno, a viver neste Inferno

  1. apaltodolumiar diz:

    Como é possível haver pessoas que ainda vivem nestas condições?
    O que é preciso fazer além de divulgar?
    Estamos ao vosso dispor para ajudar a fazer pressão a quem de direito para que este inverno não seja um inferno!

    APEAL

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: